Categorias
Hanna Carpeso Poesia

POESIA: QUE VONTADE

DE: HANNA CARPESO

QUE VONTADE

Que vontade de me esparramar na grama

Roçar na relva, sujar-me de terra

Que vontade de me lambuzar de folhas

Cobrir-me de flores e perfumada ficar

Que vontade de voar com as abelhas

Pousar nas floreiras e o mel  degustar

Que vontade de rolar pelo monte

Ralando entre  pedras

Que não vão machucar

Que vontade de  deitar na areia

Cobrir-me com ondas que o mar vai levar

Que vontade de mergulhar

E pensar que só posso fazê-lo de olhos fechados

A imaginar

Sentir-me presa emparedada  percebo

Do quanto do mundo não soube aproveitar.

2 respostas em “POESIA: QUE VONTADE”

Querida Ana, continue transformando a dureza da vida em algo tão suave como a pétala de uma flor. Use sempre o filtro de sua sensibilidade que se chama poesia.

Deixe uma resposta