POESIA: Êxtase e desfiguração – sob influência do deus Dionísio

A ribombar os tambores

Embriagam, da tarde, os ares

Elevando altos clamores

Aos tênues raios solares


Transmuta-se em fescenino

Freme e dança em frenesi

Ferino, morde, felino

Retorno ao bicho da gênese


E libamos a Dionísio

Engolidos no crepúsculo

Em mim desliza e eu deslizo

Enquanto contraí seu músculo


É a cópula primordial

Somos besta e divindade

Na consagração ritual

É passado e eternidade


Ondeando em teu quadril

Em estrondosa corrente

Desemboco no teu rio

Ah, tão caudaloso e quente!


Então o tambor silencia

Após metamorfoseados

Lá na dança que sacia

Já, a dormir transfigurados!

2 comentários em “POESIA: Êxtase e desfiguração – sob influência do deus Dionísio

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: