Categorias
Adriano Besen Contos

CONTO: A CASA DA ESTRADA VELHA

DE: ADRIANO BESEN

Todos tinham medo de passar pela estrada velha, também conhecida pelo nome de Rua das Hortênsias. Passar por lá no meio da noite, nem pensar. É um local deserto, apesar de ser um lugar muito bonito e de uma beleza natural fantástica. Tem hortênsias em ambos os lados da estrada; em toda a sua extensão, tornando a rua um lindo corredor enfeitado de flores. Um cenário digno de ser exibido como uma pintura em um quadro.

Nessa estrada, existe uma casa abandonada com uma única árvore na frente; um pé de Cipreste, a árvore símbolo da morte. Na casa hoje abandonada e caindo aos pedaços, morou uma solitária senhora chamada Valquíria. Reza a lenda que a dona Valquíria caiu no lago que fica atrás da casa e o seu corpo jamais foi encontrado. Outro fato bastante curioso é o significado do nome Valquíria: “aquela que escolhe os que vão morrer” ou “aquela que escolhe os mortos”.

Dizem que após a morte da senhora Valquíria, a estrada velha se tornou um lugar assombrado; como se estivesse sido amaldiçoado.  As pessoas que passavam por lá afirmavam que sentiam calafrios e sensações desagradáveis. Por esse motivo, nenhuma casa foi construída naquela rua; apesar de tanta beleza no local. Nunca deixou de ser uma bonita estrada, com uma única casa antiga abandonada e com um solitário guardião na frente da residência; o pé de Cipreste.

Certo dia, um padre foi até a casa abandonada da senhora Valquíria com a intenção de fazer algumas orações nos arredores da propriedade. O religioso queria trazer a paz Divina, lançando suas bênçãos. Porém, ao circundar o macabro pé de Cipreste, a porta da frente da casa abandonada se abriu e de lá, saiu o cadáver putrefato e desfigurado de dona Valquíria, caminhando na sua direção. Uma aparição horripilante. O padre saiu em desespero e logo, a notícia do que presenciou já havia se espalhado por toda a cidade. O santo padre só confirmou o que as pessoas já desconfiavam.

Depois disso edificou-se a lenda de que, a pessoa que chegar à casa da estrada velha, Rua das Hortênsias e caminhar ao redor do pé de Cipreste, será perseguida pelo horrendo cadáver da dona Valquíria. Dizem que diversas pessoas desapareceram na região próxima a funesta propriedade. Acredita-se que a senhora Valquíria afoga suas vítimas no lago atrás da sua casa. Teriam essas pessoas, caminhado ao redor do pé de Cipreste? Teriam sido essas pessoas, vítimas do apavorante cadáver de dona Valquíria? Você teria coragem de passar pela estrada velha no meio da noite? Eu não.

Uma resposta em “CONTO: A CASA DA ESTRADA VELHA”

Deixe uma resposta