POESIA: TUDO DÓI

Dói orelha, ouvido e pâncreas

Dói pé, dedo e coração

Dói umbigo, virilha e intestino

Do cabelo ao cílio

Do nariz ao pulmão

Do olhar ao tendão

Dói para falar

Para cuspir

E amar.

Tudo isso, dói.

Um comentário em “POESIA: TUDO DÓI

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: