POESIA: ENTRE GRAVIDADES

Entre três gravidades habito:

a do mundo que palpito

ser onde existo,

a do que permaneço

e a do que mereço.

Sou equilibrada peça conspícua

nesta disputa precípua

entre palpites, existências e sonhos

que, risonhos

do chão que me não existe,

da pátria que me carece,

no lacónico tempo que se me oferece

para a vida,  perdem-se

eternamente.

2 comentários em “POESIA: ENTRE GRAVIDADES

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: