Categorias
Ana Rosenrot Poesia

POESIA: REPOUSO DO GUERREIRO

DE: ANA ROSENROT

Chego em meu lar,
querido lar…
minha alma fria, mutante,
precisa descansar…

Venho de muitas guerras,
de ganhas batalhas perdidas,
de grandes amores em longínquas terras…

Deito em meu leito,
a culpa me oprimi o peito,
frio cortante, gélido, desce sobre mim…

Redenção quero encontrar,
ou simplesmente me perdoar,
secas lágrimas de arrependimento chorar,
finalmente poder dormir e novamente sonhar.

2 respostas em “POESIA: REPOUSO DO GUERREIRO”

Parabéns, ANA ROSENROT

Ganhar a guerra não é sempre vencer,
É preciso lutar sem esmorecer.
Livrar-se da culpa e recomeçar
A história é preciso mudar.
E amores longínquos?
Ah! Os amores longínquos sempre reencontrar!
Pois é o amor que nos faz sonhar!

Deixe uma resposta