Categorias
Carolina Rieger Poesia

POESIA: SONHO AMARELO

DE: CAROLINA RIEGER

Ter o deserto como propósito
e celebrar num churrasco
em meio ao enterro
do povo que lhe dá asco.
É títere quem se apraz?
Assina a tábua
assim assina
ainda é tempo
e célere mata
encabeça a onda antivacina
é eficiente quem supera a meta
perseverante, quem não declina
trinta mil já ficaram lá atrás…
ainda é tempo de erigir seu sonho
seu medonho mundo amarelo
cor de ouro, cor de soja
sobre um solo encharcado em sangue
onde ensandecido range
desmascarado
seu riso amarelado.

Deixe uma resposta