POESIA: AS MULHERES E SUAS CRIANÇAS

Desbravando o estreito do tempo
Elas ficam prenhes
Não só de filhos
Não só de amores
Prenhes de sonhos
e de perpetuação
na barriga nascem cidades
As leis e seus reis
Não há outro meio à força motriz
Da barriga nasce a história
Nasce toda a gente
Nasce um país
O futuro é umbilical
Seio e noite insone
Em ladeiras pedregosas
Caminham as mulheres
Suas crianças à tiracolo
Por ladeiras pedregosas
Fogem dos algozes
As mulheres e suas crianças.

Um comentário em “POESIA: AS MULHERES E SUAS CRIANÇAS

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: