POESIA: VÍTIMA

DE: TALITA BUENO

Morro.

Você me mata.

Morro de desejo quando sua língua toca minha pele

Morro de paixão quando tua carne me torna sua

Quando seus gemidos vibram no meu pescoço

E meu hálito se intoxica com seu gosto

Seu gozo.

Olhos turvados

Inebriada. Entregue.

Curvada.

Morro.

Você me mata.

Isso me faz viver,

A expectativa de que, mais uma vez

Em seu corpo,

Hei de morrer.

Um comentário em “POESIA: VÍTIMA

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: