POESIA: O FIM

A morte
Será o fim de tudo
Ou apenas uma rápida passagem
Agora
Me sento em minha poltrona
E observo
Seu corpo
Já dilacerado pelos cortes precisos
Agonizar em meio ao sangue
Tentei ser cuidadosa
E não acertar pontos vitais
Queria que você aproveitasse
Cada toque
Não era assim que dizia?
Todas as vezes que me tocava
E me possuía contra minha vontade
Posso dizer nesse momento
Orgulhosa de mim mesma
Aqui jaz
O fim
De um homem maldito
Aqui jaz
O fim
Do meu tormento

Um comentário em “POESIA: O FIM

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: