POESIA: PROFANO

Meu deus, eu clamo.

Piedade para comigo, o amo.

Entra em mim, meu senhor

Te recebo em minha frágil morada

Não há lágrimas em meu rosto,

Mas sabe que estou molhada

Olhos fechados e de joelhos

Mãos postas, desespero

Preciso de ti meu senhor,

Imploro.

Deixe que me alimente de ti,

Vivo para te servir,

Se alimente de mim

Santifica o profano

Bendito seja seu corpo

E bendita seja sua carne

E a comunhão dos corpos me eleva

Fico face a face com o santo

Meu deus, mais uma vez te chamo

A pecadora e o salvador

Juntos santificando o profano

Um comentário em “POESIA: PROFANO

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site desenvolvido com WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: