POEMA: POESIA MENTAL

A rima sub-reptícia.

O lirismo embutido na parede.

O oxigênio impregnado de

pausa e graça.

O cenário constrói a desgraça.

A vírgula ri do momento.

O ponto e vírgula apenas reflete

sobre a questão.

A comédia e a tragédia se entrelaçam.

Tramam um lenimento.

O que nos dá congestão.

Não digiro o impropério.

Não engulo a hipocrisia.

Convivo com as mentiras

com ar literário.

Permissão poética.

Tolerância ortográfica.

Contundência geográfica.

Pincelada histórica.

Nascemos no mar de paradoxos.

E, morremos no naufrágio da

obviedade.

De silêncios ortodoxos

Vivemos sem qualquer majestade.

Apenas sobrevivemos.

Apenas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site desenvolvido com WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: