POESIA: O SOPRO DA DOR

O telefone tocou no meio da madrugada

O identificador mostrou um número (des)conhecido

Atendi sem acreditar no que ouvia

Corri para o hospital

Já aos prantos

Passei a noite em claro

Com o coração disparado no peito

Os médicos olhavam frustrados

E diziam o clássico

“fizemos o que estava ao nosso alcance”

Torturada pela dor e pela saudade

Fui desfeita em lágrimas

Nada doeu tanto em minha vida

Quanto aquela simples palavra

Óbito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site desenvolvido com WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: