POESIA: OVERDOSE(S)

Extra, extra, saiu no jornal

Surto de overdose nacional

O surto começou na casa das putas

Que sofreram overdoses de permuta

Depois avançou estados adentro

Onde as vogais tiveram overdose de acentos

Circunflexos, acentos agudos

O solo teve overdose de adubo

Inquéritos com overdose de oitivas

Bocas com overdose de saliva

Overdoses de tetos de vidro quebrados

E overdose de motins acabados

Overdoses de chá de cogumelo e peiote

Overdoses, overdoses, overdoses

Um comentário em “POESIA: OVERDOSE(S)

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site desenvolvido com WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: