POESIA: COMO ÁGUA

O lago permanece sereno e tranquilo na noite

Perigoso. Fundo. Desconhecido. Perigoso e atraente.

E no escuro a chuva se aproxima.

Vem como toda chuva

O vento faz a superfície da água vibrar em pequenas ondas

As gotas da chuva, mansas, acariciam, se misturam, se fundem

Antes parada, a água do lago se movimenta lentamente e devagar

Surge uma sensação pesada de urgência

Que mostra que essa chuva é mais forte

Uma tempestade com raios e trovões

O vento da tempestade faz as folhas caírem sobre a água do lago

Deixando cicatrizes, marcando, mudando e criando uma ilusão

O lago agora agitado recebe as gotas da chuva que caem fortes e mais fortes

Violentas

Duas formas de água que agora se tocam e se fundem 

Unidas, a distância, pela força da natureza

Se tornam por um momento uma coisa só

A tempestade cai e as gotas d’água afundam na imensidão

A água do lago sobe com o impacto e por um instante

Parece ter força para alcançar o céu onde a tempestade está

E assim como começa, acaba

E quando a água serena, por fim

Tudo está igual e ainda assim, tudo mudou

Para sempre. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: