POESIA: VERMELHO SANGUE

Vermelho foi a cor do sangue que eu lembro…

Naquele dia o susto ao ver o q tinha acontecido…

Todos me perguntam como foi o fim de Dezembro…

E o meu futuro ainda é desconhecido…

As mãos geladas dele no necrotério…

Nenhuma lágrima sai do meu rosto…

Enfim seu corpo se encontra no cemitério…

Uma lembrança me vem do seu gosto…

Enquanto durmo me vem as memórias

Levanto da cama com um grande sorriso

Agora tudo não passa de histórias

Já fiz tudo o que era preciso

Naquele dia lembro bem o resultado…

Com satisfação, tentou me matar…

Mal sabia ele, coitado…

Que dessa fez não conseguiria me atormentar

Pela primeira vez fiquem feliz 

Com um sangue que não era meu

Pena que depois de tudo o que fiz

Você pouco de medo tremeu

Não choro e estou prestes a fazer novamente

Nem tente, não tenho medo de nada…

No inferno quem mando sou eu, a demente

Nunca duvide de uma mulher obstinada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: