Categorias
Day Morais Poesia

POESIA: AMIGA

No canto mais escuro a vejo, tão amiga, tão querida, mas não a convido para entrar.

Ela sabe, não bate, já vem íntima como velha amiga que é.

– Fique mais um pouco, me conte outra história – eu digo – mas ela nada diz.

– Por favor então vá – digo enfim buscando forças para me libertar.

Fui tola, lhe dei munição para ficar e me intimidar. Imponente, fria, escura, é sempre assim quando ela vem me visitar.

Fique um pouco mais, escuridão, como a velha amiga que é…

Categorias
Dadá Amadeu Poesia

POESIA: VIDA

Leve como passo descalço de menina;

Sincera como primeiro beijo na pracinha;

Rápida como voo na classe executiva;

Árdua como criar sozinha a única filha.

E ainda caímos na armadilha

De tentar competir com sua velocidade,

De agarrarmo-nos à falsa mocidade,

De pensar poder vencê-la.

Enganamo-nos.

E só o notamos

Quando estamos

Sufocando.

Categorias
Leslie Liandra Poesia

POESIA: O AMOR PARA MIM

É o som da sua voz 

e o cheiro do perfume que acompanha o seu caminhar. 

É o brilho do seu sorriso

e a chama em seu olhar. 

É o aconchego do seu abraço, o refúgio dos seus braços 

e sua delicadeza na forma de me tratar. 

É o “boa noite” antes de dormir 

e o “bom dia” ao acordar.

É a simplicidade dos seus atos 

e do fato de você se importar. 

É o carinho em um beijo na testa 

e a ternura em, de fato, me beijar. 

É a sensação de ter você por perto e ser a razão de eu me apaixonar.

Categorias
Hanna Carpeso Poesia

POESIA: DÓI MENOS ESTAR SÓ DO QUE VIVER ESSA CONFUSÃO

Suas lembranças ainda me assombram

Como esquecer tantos desvarios?

Paixão que consumiu nossas almas

Deixa no fim a sensação do desvio.

E mergulhar no luto a cada dia

Sobreviver à saudade e a dor

Esperar cada minuto do tempo

A libertação desse furor

Desejo que tudo termine em paz

Que o tempo tenha compaixão

E cure esta crucificação

Nem que seja com a solidão.

Dói menos estar só do que viver essa confusão.

Categorias
Carolina Gama Poesia

POESIA: SOBRE BUSCAR

E caminhar na superfície do abismo 

E saber nadar no mar de lama

E respirar com destreza

Na solidão 

E voar sobre as nuvens da manhã

Imaginar os destroços da poeira

Do que ficou pra trás naquele sonho

Que já se concretizou

Buscar é ordem, é missão 

É dádiva que salva e que afoga

Mas requer de nós, afora 

O que muitos nem tem por dentro 

Buscar é direcionar 

E não temer

Nunca.